OADQ PRODUÇÕES

Filme de temática Racial ,Documentários e Filmes Brasileiros , Africanos , Americanos e classicos

SPIKE LEE

FILME: Mais e Melhores Blues
(Mo’ Better Blues)

Micro26228-largesof

Sinopse

Ainda muito jovem, o pequeno Bleek Gilliam (Denzel Washington) era forçado pelos pais a estudar trompete, o que não lhe deixava tempo nenhum para ser criança e brincar com os amigos. Os anos se passaram e finalmente Bleek realiza o sonho de seus pais, tornando-se trompetista profissional. Mas uma forte rivalidade com o saxofonista Shadow Henderson (Wesley Snipes) parece crescer a cada dia , assumindo proporções catastróficas. E além disso, o estranho Giant (Spike Lee), amigo e 0empresário de Bleek, é viciado em jogo, causando sérios problemas para todos os músicos da banda.

Informações sobre o release

Qualidade de Vídeo: DVD Rip
Vídeo Codec: XviD
Vídeo Bitrate: 93 Kbps
Áudio Codec: MPEG L3
Áudio Bitrate: 113
Resolução: 608×352
Frame Rate: 23.976 FPS
Tamanho: 701 Mb
Legendas: Em anexo

Elenco

Denzel Washington
Spike Lee
Wesley Snipes
Giancarlo Esposito
Robin Harris
Joie Lee
Bill Nunn
John Turturro
Dick Anthony Williams
Cynda Williams
Nicholas Turturro
Jeff ‘Tain’ Watts
Samuel L. Jackson

Informações sobre o filme

Gênero: Drama
Diretor: Spike Lee
Duração: 129 minutos
Ano de Lançamento: 1990
País de Origem: EUA
Idioma do Áudio: Inglês
IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0100168/

Crítica

Spike Lee foi cuidadoso ao desenvolver a idéia de “Mais e Melhores Blues”, pois tentou fazer uma espécie de “resposta” a filmes recentes sobre jazz realizados por cineastas brancos como “Ao Redor da Meia-Noite” (Bertrand Tavernier), “Bird” (Clint Eastwood) e “Let’s Get Lost” (de Bruce Weber, documentário sobre Chet Baker, inédito no Brasil). Disse Lee: “Falta uma coisa muito importante a todos esses filmes: a textura humana do músico do jazz e do próprio jazz”.

<!– /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:””; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:”Times New Roman”; mso-fareast-font-family:”Times New Roman”;} @page Section1 {size:595.3pt 841.9pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:35.4pt; mso-footer-margin:35.4pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;} –>
/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

MALCOM X

malcom1

Sinopse
Biografia do famoso líder afro-americano (Denzel Washington) que teve o pai, um pastor, assassinado pela Klu Klux Klan e sua mãe internada por insanidade. Ele foi um malandro de rua e enquanto esteve preso descobriu o islamismo. Malcolm faz sua conversão religiosa como um discípulo messiânico de Elijah Mohammed (Al Freeman Jr.). Ele se torna um fervoroso orador do movimento e se casa com Betty Shabazz (Angela Bassett). Malcolm X ora uma doutrina de ódio contra o homem branco até que, anos mais tarde, quando fez uma peregrinação à Meca abranda suas convicções. Foi nesta época que se converteu ao original islamismo e se tornou um “Sunni Muslim”, mudando o nome para El-Hajj Malik Al-Shabazz, mas o esforço de quebrar o rígido dogma da Nação Islã teve trágicos resultados.

seta3.gif (99 bytes) Elenco
Denzel Washington (Malcolm X)
Angela Bassett (Betty Shabazz)
Albert Hall (Baines)
Al Freeman Jr. (Elijah Muhammad)
Delroy Lindo (Archie Antilhano)
Spike Lee (Shorty)
Theresa Randle (Laura)
Kate Vernon (Sophia)
Lonette McKee (Louisa Little)
Tommy Hollis (Earl Little)
James McDaniel (Irmão Earl)
Ernest Thomas (Sidney)
Jean Claude La Marre (Benjamin 2X)
O.L. Duke (Pete)
Larry McCoy (Sammy)
Maurice Sneed (Cadillac)
Debi Mazar (Peg)
Giancarlo Esposito (Thomas Hayer)
Vincent D’Onofrio (Bill Newman)
Christopher Plummer (Chaplain Gill)
Ossie Davis
Matt Dillon

Ficha Técnica
Título Original: Malcolm X
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 192 minutos

Ano de Lançamento (EUA):
1992
Estúdio: 40 Acres & a Mule Filmworks / JVC Entertainment / Largo International N.V.
Distribuição: Warner Bros. / UIP
Direção:
Spike Lee
Roteiro: Arnold Perl e Spike Lee, baseado em livro de Malcolm X e Alex Haley
Produção: Spike Lee e Marvin Worth
Música: Terence Blanchard
Fotografia: Ernest R. Dickerson
Desenho de Produção: Wynn Thomas
Direção de Arte: Tom Warren
Figurino: Ruth E. Carter
Edição: Barry Alexandre Brown

Caprichado ao extremo – a partir da cenografia e desenhos de arte (Ruth Carter e Wynn Thomas), como designer de créditos de John Calhoun que remetem a escola de Saul Bass, “My Better Blues”, tem uma fotografia suave de Ernest Dickerson. Mas é na trilha sonora, naturalmente, que repousa o grande embalo: aos três temas compostos por Bill Lee (inclusive uma “sinfônica” abertura com cordas), soma-se o talento de Bradford Marsalis e seu quarteto – (mais o pistonista Terence Blanchard), recriando clássicos como “Pork Pie Hat” (Charlie Mingus) e “A Love Supreme” (John Coltrane), dois entre muitos (Ellington Gillespie, etc.) homenageados com várias citações por Lee, que ao final, inclusive, usa uma epígrafe retirada de uma entrevista de John Coltrane (1926-1967). Com ótimo astral, suave e delicioso, “Mais e Melhores Blues” é o inverso da tristeza que tradicionalmente se atribui a palavra blues. Afinal, nem todo músico de jazz, para fazer bela música, precisa ser drogado e morrer na miséria. Dizzy Gillespie, Ellington, Satchmo, Basie e outros, são prova disto.

FILME : TODOS ABORDO

todos-a-bordoUm dos maiores filmes sobre o orgulho racial negro, “Todos à bordo” é um filme humanitário, dotado de ensinamentos morais e espirituais para elevação da raça negra. A idéia central do filme é chamar à atenção da comunidade negra para auto-superação de alguns problemas que a aflinge e que estão ao seu alcance de resolução. Inspirado pelo contexto da “Marcha de 1 milhãos de homens negros”, este filme é vibrante, e merece um lugar de destaque na história da cinematografia negra contemporânea.

Diretor(es): Spike Lee
Roteirista(s): Reggie Rock Bythewood
Elenco: Richard Belzer, De’aundre Bonds, Andre Braugher, Thomas Jefferson Byrd, Gabriel Casseus, Albert Hall, Hill Harper, Harry Lennix¹, Bernie Mac, Wendell Pierce, Roger Guenveur Smith, Isaiah Washington (1), Steve White (1), Ossie Davis, Charles S. Dutton

bamboozledcover

A Hora do Show
(Bamboozled)


Hammer

Em “A HORA DO SHOW” (Bamboozled), a televisão passa a ter uma leitura bem diferente. Trata-se de uma sátira descarada, com toques bem humorados, dos preconceitos e ciladas que envolvem as emissoras de televisão. A história enfoca o apogeu e o trágico declínio de um escritor de TV que se deixa envolver pelos critérios de raça, audiência e sede de poder.
Damon Wayans, estrelando no papel de Pierre Delacroix, é um jovem bem educado e instruído, mas a única pessoa negra que escreve para uma emissora de televisão, vivendo a eterna luta pela audiência. Apesar das tentativas, Delacroix ainda não teve a felicidade de ver um de seus projetos entrar em produção. E agora, seu chefe Dunwitty (Michael Rapaport), um homem sedento por pontos no ibope, lhe dá um ultimatum: ou ele apresenta um sucesso urbano que possa mexer com o público ou vai para a rua.
Sentindo-se pressionado, Delacroix decide apresentar uma farsa inacreditável: a comédia mais estereotipada que se pode imaginar. Ele traz do passado os shows dos menestréis de “cara preta” com toques de variedades de Mantan (Savion Glover), um sapateador sem teto e seu partner Sleep n’ Eat (Tommy Davidson).
Inacreditavelmente, a fraude de Delacroix se torna uma explosão de audiência, um fenômeno cultural que os entendidos da mídia exultam e faz a chefia da emissora delirar com os pontos. Mas, para Delacroix, o sucesso de “Mantan – O Show de Menestrel do Novo Milênio” é o começo de um desfecho rápido. Embora tentando defender o bem sucedido espetáculo, Delacroix recebe ataques de todos os lados, inclusive de sua própria assistente Sloan Hopkins (Jada Pinkett-Smith), que está apaixonada por Mantan, e também do irmão dela Big Black Africa (Mos Def). A audiência do programa continua a subir, entretanto vai provocar uma mudança radical


Elenco

Damon Wayans … Pierre Delacroix
Savion Glover … Manray / Mantan

Jada Pinkett Smith … Sloan Hopkins
Tommy Davidson … Womack / Sleep’n Eat

Michael Rapaport … Thomas Dunwitty
Thomas Jefferson Byrd … Honeycutt
Paul Mooney … Junebug
Sarah Jones … Dot

Gillian Iliana Waters … Verna
Susan Batson … Orchid Dothan

Mos Def … Mau Mau: Big Blak Afrika (Julius Hopkins)
M.C. Serch … Mau Mau: 1 / 16th Blak (as MC Serch)

Informações sobre o filme

Gênero: Comédia, Drama
Diretor: Spike Lee
Duração: 135 minutos
Ano de Lançamento: 2000
País de Origem: EUA
Idioma do Áudio: Inglês
IMDB: http://www.imdb.com/title/tt0215545/

Informações sobre o release

Qualidade de Vídeo: DVD Rip
Vídeo Codec: Xvid
Vídeo Bitrate: 689 Kbps
Áudio Codec: mp3
Áudio Bitrate: 32
Resolução: 576 x 320
Formato de Tela: Widescreen (16×9)
Frame Rate: 23.976 FPS
Tamanho: 700 Mb
Legendas: Em anexo

Crítica

Poderia ser um documentário. Há mesmo cenas recuperadas de clássicos que atestam a fonte, como fundo para os créditos finais. Mas é Spike Lee, o que significa que, além do conceito de um cinema ativista, da busca da verdade, há sempre o risco da polêmica iminente. E o diretor negro nunca foi tão incômodo e provocador como agora.

Não economizou no combustível para botar fogo na discussão no tratamento da mídia aos negros. A Hora do Show, que estréia no Brasil, é uma obra como há muito não se via em sua cinematografia — e mesmo no cinema de tese. Começa com uma reunião numa emissora de TV americana. O chefe (Michael Rapaport) esculhamba todos pela baixa audiência. Quer algo novo de seus roteiristas. Quem lhe dá o segredo do sucesso é o único negro da equipe, Pierre Delacroix (Damon Wayans).

A idéia brota das ruas: o artista amador que dança sapateado diariamente à porta da empresa. Manray (Savion Glover) é um prodígio levado por um amigo (Tommy Davidson). Pierre quer transformá-los nas velhas duplas cômicas da TV ao vivo. Mas há problemas. O roteirista acredita que ao recriar uma fórmula caída em desgraça por seu absurdo racista estará mexendo com a acomodação da platéia, enfim, jogando com velhos preconceitos para acirrar discussões.

A questão é como escolheu fazer isso. Sua dupla de cômicos é negra, mas não o bastante. Apresentam-se com uma tinta preta na cara. Com um figurino que remete a personagens miseráveis e ignorantes, o par repete estereótipos da trajetória de sua etnia na América. Não dá outra. O programa é um sucesso, faz polêmica e leva seu criador a ser alvo tanto da fama como de um grupo de rap, que o elege como um demônio a ser eliminado.

A essa altura, Spike Lee já lançou seu petardo. A visão desse universo que ele extrai sem moldar um julgamento deixa o espectador um tanto perdido. Lee deixa a impressão que navega no mesmo barco. Evidente que faz um jogo ambíguo. De uma certa forma, ele é Pierre, a querer desmontar os conceitos do espectador, seja ao acreditar numa mudança de tratamento da mídia, seja para não deixar que os erros desta caiam no esquecimento. Mas, como Pierre, Spike Lee também se arrisca. Mexe num vespeiro ao desmistificar a união e força do ativismo racial. Sugere que há divisões no círculo da etnia.

Há cenas incômodas, radicais até, como a da polícia (branca) exterminando seus alvos (negros) numa chacina. Ninguém duvida que pode ser assim. Mas o diretor quer a confirmação aos olhos do espectador. A verdade de Spike Lee pode doer, se equivocar, mas nunca será infantil como a de Hollywood.

Crooklyn – Uma Família de Pernas pro Ar

crooklynr

Nova York, anos 70. Era o tempo dos Jackson 5, da família Dó-Ré-Mi e do Black Power. Neste cenário musical efervescente, Spike Lee nos traz a vibrante história da Professora Carolyn Carmichael (Alfre Woodard), uma mãe carinhosa e preocupada, seu marido Woody (Delroy Lindo), músico de Jazz, e seus cinco filhos vivendo no agitado bairro do Brooklyn. Quando Woody, que já foi bem sucedido com a música, perde seu emprego, uma crise começa a envolver sua família e seu casamento. E agora todos terão de confiar uns nos outros – e também no senso de humor de cada um – para enfrentar as grandes alegrias e inevitáveis tristezas do dia-dia. Crooklyn ¿ Uma Família de Pernas Para o Ar, mostra a visão muito particular da única filha mulher do casal, Troy (Zelda Harris), cujo ponto de vista vai progressivamente tomando conta de toda a história.tomando conta de toda a história.

Elenco

IRMÃOS DE SANGUE


peliculas5096imagen1

Ficha Técnica

Título Coleção Spike Lee (Vol 3) – Irmãos de Sangue

Titulo Original Box Spike Lee (Vol 2) – Clockers

Gênero: Drama Pais/Ano EUA / 1995

Diretor Spike Lee Produção Roteiro Fotografia Trilha Sonora Estúdio Distribuição Universal Duração/Censura 129 min / 0 Data DVD 12/9/2002

Sinopse: Strike (Mekhi Phifer) trabalha como “clocker”, o elo mais baixo da cadeia do tráfico de drogas. A escória da escória. O trabalho consiste em vender pequenos envelopes de droga nos mais obscuros cantos de Nova York, principalmente para homens brancos que jamais entrariam nos guetos negros da cidade. Os clockers mantém uma coexistência pacífica com a polícia. De alguma forma, todos se ajudam, principalmente o policial Rocco, vivido por Harvey Keitel. Porém, sob o comando do poderoso traficante Rodney (Delroy Lindo), o frágil equilíbrio das relações entre os clockers, os grandes traficantes e o braço frágil da lei pode ser quebrado a qualquer momento. Um assassinato entre gangues anuncia uma guerra de proporções jamais vistas antes. Irmãos de Sangue marca a parceria de dois cineastas que vivem, entendem e filmam como poucos a cidade de Nova York: Spike Lee e Martin Scorsese. O filme foi selecionado para a mostra competitiva oficial do Festival de Veneza. Richard Pryce, autor do livro que Informação Especial: Informações Especiais

Notas de produção
3 trailers
Legendas: Inglês, Espanhol, Português, Coreano, Cantonês
Idiomas: Inglês 2.0, Espanhol 2.0

CÓDIGO DAS RUAS

codigo-da-sruas

Sinopse

O conceituado e talentoso diretor Spike Lee (de A Última Noite) sabe como ninguém retratar a realidade dos becos das grandes cidades norte-americanas, sempre refletidos geograficamente em seu território, Nova York. Aqui, ele conta uma boa história policial que envolve, como sempre, uma forte dose de realismo e dramaticidade. Ele conta a história de três jovens rapazes de origens e criações diferentes que querem tomar conta das ruas, usando todas as armas para demarcar seus territórios. Nessa dura realidade de jovens envolvidos em brigas de gangues, a tensão racial está sempre à beira de uma explosão, e a qualquer momento pode detonar uma verdadeira guerra marcada por uma onde de mortes e caos. Mas, aos poucos, cada um a sua maneira, os três começam a perceber que não são tão diferentes um do outro e que muitas vezes pode não ser compensador continuar vivendo dessa maneira. Como todo filme de Spike Lee, os ingredientes raciais e polêmicos são muitas vezes colocados de forma forte, subvertendo até mesmo o gê nero do filme, tamanha a personalidade que o diretor impõe em suas realizações.


Elenco e Equipe Técnica

Ben Crowley
Ken Leung
Anthony Mackie
Darris Love
John Savage
Leora Allen
Kethy Baker

Direção: Spike Lee

Distribuição: Flashstar

Crianças Invisíveis
all-the-invisible-children-poster01

v\:* {behavior:url(#default#VML);}
o\:* {behavior:url(#default#VML);}
w\:* {behavior:url(#default#VML);}
.shape {behavior:url(#default#VML);}

Normal
0
21

false
false
false

MicrosoftInternetExplorer4

st1\:*{behavior:url(#ieooui) }

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”;
mso-ansi-language:#0400;
mso-fareast-language:#0400;
mso-bidi-language:#0400;}

seta3.gif (99 bytes)Sinopse
Seja coletando sucata nas ruas de São Paulo ou
roubando para viver em Nápoles e no interior da Sérvia, os filmes são
protagonizados por personagens infantis que lidam com uma dura realidade, na
qual crescer muito cedo acaba sendo a única saída.

 

seta3.gif (99 bytes)Ficha
Técnica

Título Original: All the Invisible Children
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 116 minutos
Ano de Lançamento (Itália):
2005
Site Oficial: www.alltheinvisiblechildrenmovie.com
Estúdio: Rai Cinemafiction /
MK Film Productions S.r.l.
Distribuição: 01 Distribuzione
/ Paris Filmes
Direção: Mehdi Charef,
Kátia Lund, John
Woo
, Emir
Kusturica
, Spike
Lee
, Jordan Scott, Ridley
Scott
e Stefano Veneruso
Roteiro: Mehdi Charef, Diogo
de Silva, Stribor Kusturica, Cinqué Lee, Joie Lee, Spike Lee, Qiang Li, Kátia
Lund, Jordan Scott e Stefano Veneruso
Produção: Maria Grazia
Cucinotta, Chiara Tilesi e Stefano Veneruso
Música: Terence Blanchard, Ramin Djawadi e Hai Lin
Fotografia: Philippe Brelot, Cliff Charles, Changwei Gu, Toca Seabra,
Vittorio Storaro, Jim Whitaker e Nianping Zeng
Desenho de Produção: Ben Scott
e Timmy Yip
Figurino: Donna Berwick
Edição: Barry Alexander Brown, Robert A. Ferretti e Dayn Williams
Efeitos Especiais: Neil
Corbould Special Effects Ltd. / SR “Zeljko Bozic” za Pruzanje
Kaskaderskih Usluga

seta3.gif (99 bytes)Elenco
Francisco Anawake (João)
Maria Grazia Cucinotta (Atendente de bar)
Damaris Edwards (La Queeta)
Vera Fernandez (Bilu)
Hazelle Goodman (Sra. Wright)
Hannah Hodson (Blanca)
Zhao Ziann (Song Song)
Wenli Jiang (Mãe de Song Song)
David
Thewlis
(Jonathan)
Jake Ritzema (Jonathan – jovem)
Kelly Macdonald (Esposa de Jonathan)
Rosie Perez (Ruthie)
Andre Royo (Sammy)
Qi Ruyi (Cat)
Lanette Ware (Monifa)


klyn)– Uma F amília De

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: